quarta-feira, 31 de agosto de 2011

De beijos que fecundam a terra




















alma das fadas
no caminho das águas
desce em cordões de lágrimas
que a tristeza dos céus tece

nuvens declaram um pranto
em beijos que fecundam a terra
e depois do cinza desencanto
acordam botões em cor

cantiga de pingos
que embala o adormecer
sons das entranhas dos céus
que fazem estremecer

e finda a loucura do tempo
tempestade perde a força
ganha espaço a claridade
em nuances de arco-íris.



Imagem em contoserimas

Twitter: http://twitter.com/#!/SilviaMello23


DEUS É FIEL

Um comentário:

  1. Maravilhosa sua poesia querid amiga.
    Beijos, amei, voltarei aqui

    ResponderExcluir